Cabeçalho A História dos Hospitais
Prontocardio

clique na imagem para ampliar

No Brasil, mais especificamente no Estado do Rio de Janeiro, a preocupação com os edifícios hospitalares teve início na primeira metade do século XIX. Os hospitais do período colonial, mantidos por ordens religiosas ou instituições filantrópicas, passaram a ser analisados como focos de epidemias ao lado de outros equipamentos urbanos tais como matadouros, mercados e cemitérios.


Até então, os hospitais em nada se diferenciavam de outros espaços de confinamento tais como prisões e quartéis, funcionando como asilos para indigentes e depositários de doentes que, em suas salas escuras e úmidas, superlotadas de leitos compartilhados, aguardavam a morte.


A arquitetura começa a ser atribuída a função de criar um espaço técnico inteiramente funcional, capaz de canalizar a circulação desordenada de fluídos, objetos e corpos que constituíam os suportes físicos do contágio indiscriminado.

Atualização por Adão Lima